RECIMO – Publicações Científicas

O Repositório Científico de Moçambique (RECIMO) é um conjunto de serviços de informação, gestão, armazenamento, preservação, disseminação e acesso a objectos digitais produzidos no universo das actividades de ensino, investigação, extensão e inovação das Instituições de Ensino Superior e de Investigação Científica Nacionais.

O RECIMO subdivide-se em dois subsistemas de repositórios: Publicações Científicas e Monografias.

RECIMO – Publicações Científicas; regista e agrega teses, dissertações e publicações científicas tais como, artigos científicos publicados em Revistas Científicas com revisão por pares, livros académicos, capítulos de livros académicos, relatórios técnicos científicos, entre outros documentos aceites, produzidos pelas Instituições de Ensino Superior (IES) e de Instituições de Investigação Científica (IIC).

O RECIMO permite o acesso aberto a todas publicações científicas e académicas. O acesso aos metadados e documentos depositados é livre e gratuito. As publicações estão abrangidas pela licença padrão Creative Commons Internacional.

Para mais informações ou esclarecimentos entre em contacto através do helpdesk@recimo.ac.mz.

 

Recent Submissions

Item
UDZIWI, Revista de Educação da Universidade Pedagógica de Maputo -Moçambique
(2020)
NOTA EDITORIAL Estimados (as) leitores (as) O Centro de Estudos de Políticas Educativas (CEPE) apresenta a Revista Udziwi número 34, com um total de 17 artigos. A equipe editorial da revista UDZIWI Deseja a todos e a todas, uma óptima leitura!
Item
Gestão de currículo local: práticas e percepções dos gestores e professores nas escolas A e B
(2022) Mondlane, Atália Maria Fernando Saide
A implementação do Currículo Local como uma das inovações do ensino básico em Moçambique tem suscitado inúmeros debates tendo em contas vicissitudes no campo da educação. Diante das controvérsias assistidas, o presente estudo procurou compreender como os gestores e professores das Escolas do ensino básico A, na Cidade de Maputo, e B, no Distrito de Boane, Província de Maputo, fazem a implementação e a gestão do Currículo Local (CL) atendendo que os gestores escolares são a força motriz para dinamizar esta inovação. O trabalho apresenta as percepções dos gestores e professores das escolas referidas em relação à gestão do CL. O estudo visa responder a seguinte questão: Como os gestores e professores garantem a gestão do currículo local a partir das estratégias adoptadas nas escolas estudadas. Com base na teoria pós-crítica com enfoque multiculturalista, a pesquisa foi desenvolvida recorrendo a uma metodologia qualitativa e interpretativa, na modalidade de estudo de caso. Os resultados mostraram que os gestores estão cientes do seu papel enquanto responsáveis da escola na gestão do conhecimento do CL. A luz das orientações constantes no Manual sobre a abordagem do CL, a Direcção da escola coordena com os demais intervenientes a gestão e implementação do currículo local. Apesar das responsabilidades assumidas, ainda persiste a dúvida sobre a eficácia do CL nas escolas estudadas. De facto, a pesquisa constatou que o gestor e a comunidade não participam de forma activa na gestão do CL, o que sobrecarrega os professores como os actores principais na gestão e implementação do mesmo.
Item
Interpretações de Professores Sobre o Abandono Escolar dos alunos da Escola Primária Completa Eduardo Mondlane, Distrito da Manhiça, Província do Maputo entre 2018 à 2020
(2023) Pelembe, Bernardo Jaime
A presente pesquisa constitui uma análise das interpretações dos Professores sobre o Abandono Escolar dos alunos da Escola Primária Completa Eduardo Mondlane no distrito da Manhiça, Província do Maputo. Em termos metodológicos, recorremos à abordagem qualitativa, tendo como método de abordagem o indutivo, que consistiu em partir do particular para o geral e como instrumento, foi aplicada a entrevista semi-estruturada envolvendo 7 professores dos quis 2 do sexo masculino e 5 do sexo feminino, com mínimo de 5 anos de experiência. Na pesquisa, constatámos que os professores interpretam o abandono escolar relacionanado-o com o fenómeno pobreza, que condiciona aos casamentos prematuros, entrada precoce ao mercado de emprego informal para sustento da família e a falta de acompanhamento familiar que leva a sucessivas reprovações. Os que abandonam a escola são alunos provenientes de famílias com fraco poder económico e que nalguns casos são “chefes de famílias”. O estudo concluiu que, as interpretações que os professores têm sobre o abandono escolar se prendem não apenas com características do meio envolvente da escola, mas também com as características das suas familiares e com a incapacidade da escola em responder a um público cada vez mais diversificado, em necessidades e aspirações. Face a esta conclusão, recomendamos que, a escola aprofunde a sua capacidade de conhecimento da situação real dos alunos para compreender quem são os estudantes que, na escola apresentam maior dificuldade no PEA; quem são aqueles que mais faltam a escola; onde e como eles vivem; qauis são as suas dificuldades, os que abandonaram qual foi o motivo e o que estão fazendo fora da escola.